Orquestra Criança Cidadã dos Meninos do Coque

Homenageada | Autor(es): João José Rocha Targino | Categoria: -- | Cidade: Recife - PE

Prêmio Innovare - Edição IV - 2007

Descrição resumida

O projeto ORQUESTRA CRIANÇA CIDADÃ DOS MENINOS DO COQUE, atende 100 jovens, na faixa etária entre 7 e 15 anos, de um dos bairros mais violentos da Região Metropolitana do Recife e o de menor IDH. Os alunos recebem gratuitamente aulas de instrumentos de corda (violino, viola, violoncelo e contrabaixo), teoria musical, flauta doce e canto coral, contando ainda com apoio pedagógico, atendimento psicológico e o fornecimento de 3 refeições diárias, além do fardamento. O projeto, que teve início em agosto de 2006, foi idealizado, executado e é coordenado pelo autor, juntamente com outros agentes sociais, com o objetivo de reinserir socialmente crianças e adolescentes por meio da música, com vistas à profissionalização. O regente da orquestra é o maestro Cussy de Almeida Netto. As atividades da primeira turma terão duração de 5 anos. O custo estimado para a manutenção da orquestra é de R$ 1.200.000,00 (um milhão e duzentos mil reais) anuais.

Há quanto tempo a prática está em funcionamento?

Há 11 meses, tendo sido inaugurada em 25 de julho de 2006, enquanto as aulas foram iniciadas no dia 03 de agosto. Os resultados alcançados, entretanto superaram as expectativas e atingiram níveis jamais imaginados. O aprendizado corresponde ao 2.º ano e o nível de analfabetismo entre os alunos (inclusive daqueles que freqüentam a 4a. série do ensino fundamental das escolas públicas) foi reduzido a zero. O avanço no quesito comportamento social também foi extraordinário, considerando-se que não havia hábitos de higiene entre a maioria, e muitos nunca se utilizaram de talheres à mesa. Atualmente, se apresentam em todos os lugares com disciplina, humildade e um comportamento exemplar, que muitas vezes não se encontra mesmo entre jovens da classe média e alta, pois até mesmo assistem a concertos de orquestra sinfônica e levam seus pais e irmãos a apreciarem a música clássica.

Qual a principal inovação da sua prática?

1. Trata-se de um Projeto inusitado por ser executado em tempo integral, priorizando, inicialmente, a formação do caráter e, posteriormente, a profissional, durante os sete dias da semana. 2. O projeto é integrado com alimentação (9.000 refeições/mês para 100 crianças), pedagogia, psicologia e profissionalização, além de atender as famílias dos alunos, contando ainda com o fornecimento de cestas básicas e orientação familiar. 3. Salva crianças e adolescentes de um ambiente hostil e luta pelo resgate de sua cidadania e civismo, dando-lhes a perspectiva de um futuro promissor. 4. É inovador por se diferenciar de qualquer Escola de Música convencional pelo seu aspecto de priorizar a musicalização com aulas diárias, individuais e coletivas, sem nenhum ônus para o alunado, que conta ainda com os benefícios da gratuidade da alimentação, fornecimento de fardamento, lazer, excursões culturais, freqüência a concertos e exposições, além da doação de uma cesta básica de alimentos mensal para cada família

Explique o processo de implementação da prática

O Projeto ora apresentado nasceu do sonho do autor de ver florescer em uma comunidade carente do Recife, um labor voltado essencialmente para a profissionalização de crianças e adolescentes por meio da arte musical. Mesmo não tocando qualquer instrumento, sempre vislumbrou na música uma via de crescimento interior para quem a pratica e, acima de tudo de oportunidade, notadamente para os desafortunados do destino. Dia a dia a idéia se mostrava mais vigorosa. No princípio do ano de 2005, leu certo dia acerca da apresentação na mesma data de concerto de jovens carentes da Comunidade do Alto do Céu, no Auditório do Diário de Pernambuco, sob a regência do conceituado Maestro Cussy de Almeida. Visto o referido concerto, o sonho deu um passo no caminho da concreção, tanto é que, no dia seguinte já manteve contato com o sobredito Maestro que, após ouvir os propósitos do autor mostrou-se entusiasmado com a idéia. Os passos que se sucederam daquele momento em diante, foram todos coroados de êxito e também de dificuldade. A glória prende-se ao fato de não ter faltado apoio para a elaboração do projeto idealizado da Orquestra Criança Cidadã dos Meninos do Coque, bem como de ter o Exército Brasileiro, de imediato acolhido a idéia, a ponto de não somente permitir a realização das aulas no interior de sua guarnição (7º DSUP), mas, sobretudo por ter construído com recursos próprios a escola de música de padrão internacional, onde o projeto se desenvolve. A complicação, transposta com muita obstinação e pertinácia, deve-se à dificuldade encontrada para a captação do numerário necessário à aquisição dos instrumentos musicais e seus componentes, assim como dos utensílios para equipar a escola, bem ainda do quantum suficiente ao pagamento da folha inicial do pessoal.

Quais os fatores de sucesso da prática?

Dedicação diuturna do Autor, Coordenador Geral do Projeto, que atua de forma voluntária, assim como de todos os demais funcionários que realizam esse trabalho com o afeto integrado em todas as fases. Compreensão para com as deficiências de escolaridade e convivência social dos alunos. Mergulho total no aprendizado por parte dos discentes, de acordo com a metodologia Suzuki adaptada à nossa realidade pelo maestro Cussy de Almeida Netto, além do apoio dos familiares dos alunos e da sociedade em geral. Digna de menção a dedicação extraordinária do presidente da Associação Beneficente Criança Cidadã, Desembargador Nildo Nery dos Santos que acolheu o Projeto Orquestra Criança Cidadã, desde a sua gênese. Vale ressaltar, por ser de todo oportuno, o apoio constante dispensado pelo Presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco, o Excelentíssimo Senhor Desembargador Fausto Freitas, o qual não se cansa de colaborar de todas as formas ao seu alcance para o êxito do Projeto, tais como: • Prestigiando com sua presença os diversos eventos nos quais a Orquestra se apresenta; • Requisitando a Orquestra para abrilhantar as solenidades do Tribunal, como a posse dos 5 últimos novos Desembargadores em sessão realizada no Teatro de Santa Isabel; • Convidando a Orquestra para se apresentar na Cantata de Natal do TJPE; • Disponibilizando o cerimonial para abrilhantar as apresentações mais formais da Orquestra; bem como, 2 auditores do TCE à sua disposição, para fiscalizar as contas do Projeto e emitir relatórios. • Divulgando o Projeto mediante publicação de matérias nos órgãos oficiais do Tribunal, conforme site abaixo: http://www.tjpe.gov.br/noticias_ascomSY/ver_noticia.asp?id=4335 Por oportuno, disponibiliza-se também outras reportagens para melhor compreensão do Projeto: (selecionar os sites abaixo e colar direto no programa de internet) http://www.tjpe.gov.br/noticias_ascomSY/ver_noticia.asp?id=4635 http://www.pnud.org.br/educacao/reportagens/index.php?id01=2165&lay=ecu http://www.intercidadania.net/noticia.kmf?noticia=6257660&canal=50 http://www.alepe.pe.gov.br/inicio.php?secao=378&cat=NOT%CDCIAS&dia=6&mes=7&ano=2006&tudo=1 http://www.fisepe.pe.gov.br/cepe/materias2006/ago/judi02240806.htm http://www.revistasim.com.br/asp/materia.asp?idtexto=4887 http://www.alepe.pe.gov.br/inicio.php?idnoticia=2797&secao=1371 http://www.fisepe.pe.gov.br/cepe/materias2007/abr/legi01030407.htm http://www.copergas.com.br/site/ctudo-conteudo.asp?idsecao=44

Outras Observações

Com respeito ao planejamento, tanto os professores quanto os alunos têm metas previamente definidas de tarefas a serem cumpridas em prazos preestabelecidos. Mensalmente, os alunos são submetidos a um teste de excelência na progressão metodológica. Semestralmente, passam por uma avaliação do programa didático, no que concerne às obras a serem vencidas técnica e musicalmente para apresentações individuais e coletivas no seio da orquestra. O Coordenador Geral atua estabelecendo metas, acompanhando e fiscalizando a execução desses objetivos propostos e estabelecidos; trabalha na captação de recursos e na administração, aplicação e prestação de contas das verbas obtidas. Os professores, sob a supervisão do Maestro ministram as diversas espécies de aulas (teoria musical, canto coral, ritmo, flauta doce e instrumentos de corda bem como reforço escolar, civismo, ética, hábitos de higiene e boas maneiras), participam do treinamento diário dos alunos, e os avaliam nos ensaios semanais da orquestra e no aproveitamento escolar e comportamental. Foram solicitados profissionais externos de indiscutível competência e moralidade (Baker Tilly Brasil e Auditores do Tribunal de Contas do Estado de PE) para efetuarem a auditoria das contas do Projeto, trabalho que executam voluntariamente após verificarem a importância social de que o mesmo se reveste. A transparência em todas as ações é da própria natureza do Projeto e a comunidade em geral tem livre acesso ao projeto e reuniões de avaliação, inclusive com a participação de lideres comunitários e do Conselho Tutelar. É dada grande importância à participação dos pais e responsáveis pelos alunos, nas reuniões mensais.

Descreva resumidamente as etapas de funcionamento da prática

JANEIRO 2006 A JUNHO/2006 Construção da Escola de Música JANEIRO 2006 A JULHO/2007 E 2009 Aquisição de instrumentos musicais JULHO 2006 A JUNHO/2011 Ensino Musical (teoria musical, instrumentos de corda, flauta doce, canto coral e bandinha rítmica) JULHO 2006 A JUNHO/2011 Acompanhamento psicossocial e pedagógico (complementação escolar, acompanhamento individual e coletivo, visitas a espaços culturais e concertos sinfônicos) JULHO 2006 A JUNHO/2007 e JANEIRO 2008 A JUNHO 2011 Prática esportiva e educação física JANEIRO A JUNHO/2008 Implantação e inauguração do Telecentro JULHO 2006 A JUNHO/2011 Apoio sócio-familiar JULHO 2006 A JUNHO/2011 Apresentações da Orquestra Criança Cidadã dos Meninos do Coque JANEIRO 2006 A JUNHO/2011 Publicização e Socialização de Informações JULHO 2006 A JUNHO/2011 Manutenção dos Instrumentos (cordas, crinas, breu, acessórios etc.) JANEIRO 2006 A JUNHO/2011 Coordenação e gerenciamento JANEIRO 2006 A JUNHO/2011 Prestação de Contas

Equipamentos / Sistemas

Acervo Instrumental da orquestra: INSTRUMENTOS QUANTIDADE Violinos 1/4..............9 Violinos 1/2..............5 Violinos 3/4..............3 Violinos 4/4.............30 Violinos 4/4-Concerto....25 Viola Concerto...........03 Viola Normal.............16 Violoncelo Concerto.......4 Violoncelo Normal.........7 Violoncelo 1/2............2 Violoncelo 1/4............1 Contrabaixo..............10 Arcos de Violino.........79 Arcos de Viola...........17 Arcos de Violoncelo......14 Arcos de Contrabaixo.....10 Piano 1/4 de cauda........1 Metrônomos, afinadores, estantes e outros acessórios suficientes para a quantidade de instrumentos musicais acima. Móveis e Equipamentos: Computadores:.............3 Birôs:...................10 Armários e fichários:.....4 Cadeiras:...............120 Metodologia Suzuki Métodos em livros e CDs ( 8 volumes) com 100 exemplares de cada volume; Partituras musicais (100 exemplares de cada música.

Benefícios especificos para a segurança pública

O Projeto da Orquestra Criança Cidadã dos Meninos do Coque tem como fundamentação e importância o desenvolvimento de ações no campo da prevenção primária. Foram considerados os perfis sócio-econômicos de várias comunidades e o seu entorno. Dentre elas foi escolhida a comunidade do Coque, por encontrar-se numa situação de risco social bastante acentuada, tendo em vista a incidência de vários fatores negativos, dentre os quais destacamos: 1. Possuir o I.D.H. mais baixo da cidade, cumulado com o maior índice de violência urbana; 2. Apresentar índice de desemprego acima da média urbana do Recife; 3. Inexistir comércio formal, incompatível com as características violentas do bairro, fazendo com que 80% dos profissionais que conseguem trabalho, atuem como informais, ambulantes, barraqueiros, pescadores, faxineiras, diaristas e lavadeiras; 4. Ter grande número de habitações construídas precariamente em alvenaria e madeira reaproveitada, com um cômodo, insalubre, onde residem famílias numerosas e miseráveis; 5. Existir muitos becos e 5 localidades de favelas em situação precária, na beira da maré e embaixo de viadutos, favorecendo, desta forma, a violência e o desenvolvimento de atividades ilícitas; Pela junção desses fatores deu-se a escolha da região onde foi construída a Escola de Música, nas dependências de uma unidade do Exército Brasileiro, o Quartel do 7º DSUP, localizado no entorno da comunidade. Destaca-se essa parceria como uma importante ação no cumprimento do instituído no art. 227, da Constituição Federal, uma vez que tal parceria não implica em subordinação, ligação ou dependência administrativa com aquela Unidade Militar e, ao mesmo tempo oferece a segurança de todos os envolvidos no Projeto, bem como de todo acervo instrumental de grande valor. É inegável que, o projeto ora apresentado, ao direcionar seus alunos para a cidadania, dando-lhes uma profissionalização musical e, por conseguinte, uma vida social digna, bem diferente da que possuem atualmente, está a contribuir para a segurança pública da área e também da cidade, posto que, a marginalidade da Comunidade do Coque, causa terror em toda a área urbana do Recife. Os benefícios propiciados pelos sons da Orquestra Criança Cidadã dos Meninos do Coque, a toda evidência não beneficiam só seus integrantes, mas suas famílias como um todo (muitas das quais com vários integrantes já inseridos na criminalidade), posto que, na medida em que um membro ganha status social, o passo seguinte ou a conseqüência imediata será sua saída, levando consigo o núcleo familiar da comunidade do Coque, para residir em área compatível com o status adquirido de músico, fazendo com que os componentes da família que se acharem às voltas com a criminalidade mudem definitivamente de vida, gerando, dessa forma, segurança pública no meio social.

Explique porque sua prática é considerada pacificadora para a sociedade

Como alternativa para salvar algumas famílias, prevenindo a sua marginalização, ou mesmo o aumento de delinqüentes no seu seio, escolhidos foram 100 alunos das escolas públicas da comunidade do Coque para profissionalizá-los, por intermédio da arte musical. A música dulcifica as índoles agressivas e não se conhecem casos de verdadeiros músicos que tenham enveredado pelas sendas da criminalidade. E se existem são raríssimos ou não são então verdadeiros profissionais da música. A carência de músicos de cordas para a formação e manutenção das orquestras do país, deve-se principalmente ao longo, complexo e difícil aprendizado desses instrumentos, o que assegura um mercado de trabalho aberto, onde a demanda é significativamente maior do que a oferta. Os objetivos delineados no projeto não seriam alcançados se, após a formação dos alunos, os mesmos não conseguissem um lugar no mercado de trabalho. Os familiares dos alunos participam de reuniões no Projeto, têm assistência psicológica quando necessário, recebem mensalmente cesta básica e estão buscando novas alternativas de lazer, entre as quais, destacamos por ser bastante inusitada para os hábitos da Comunidade do Coque, a ida voluntária de grupos de mães com seus filhos para assistirem aos concertos gratuitos da Orquestra Sinfônica do Recife no Teatro de Santa Isabel. Como a música pacifica os espíritos e adoça as almas, já se vislumbra no caso do projeto sub apretiationis, mudança nas características inicialmente violentas e indisciplinadas dos alunos, os quais, por estarem inoculados com o vírus da música não mais se envolvem voluntariamente com as nefastas práticas quotidianas de sua comunidade. Esses jovens, seus irmãos e familiares deram início a uma nova legião com mentalidade diferenciada que está se expandido a muitos outros moradores do Coque, que buscam uma vaga na Escola de Música, afim de que possam ser salvos de um destino deveras lamentável ao qual são atraídos pelo próprio ambiente social em que vivem.

Quais as dificuldades encontradas?

A primeira dificuldade foi encontrar um local seguro, no entorno da comunidade do Coque, onde estivessem protegidos o acervo instrumental de grande valor e a segurança física de professores e alunos, a um custo compatível com as possibilidades financeiras do Projeto. A solução adveio após encontro do autor com o General de Divisão Eimard Marques de Santa Rosa, à época comandante da 7ª Região Militar, o qual, após ouvir sua explanação acerca do que desejava implantar, de pronto, colocou as instalações do 7º DSUP à disposição. A partir daí, deu-se uma completa abertura por parte da Força Terrestre Verde Oliva, a qual não somente cedeu parte das suas instalações, mas fez muito mais, ao construir a Escola de Música de padrão internacional, a custo zero para o Projeto, colocando ainda à disposição, as instalações da cozinha e rancho (restaurante), inclusive com o preparo das 3 refeições diárias servidas aos alunos, bem como a cessão de 3 soldados para o apoio logístico do funcionamento diário da Escola. Foi também contratado um líder comunitário do Coque, com o objetivo imprescindível de facilitar o contato com os familiares dos alunos e efetuar o intercâmbio de todas as questões que liguem o Projeto à Comunidade. A segunda dificuldade foi de ordem financeira, pois o orçamento inicial do Projeto estava acima dos recursos ordinários da Associação Beneficente Criança Cidadã, ONG na qual o Projeto Orquestra Criança Cidadã dos Meninos do Coque foi inserido. A captação e aporte dos recursos têm vindo principalmente da CHESF (Companhia Hidro Elétrica do São Francisco) e da CNI (Confederação Nacional da Indústria), além do apoio da Copergás e de empresas privadas. Os convênios e patrocínios têm sido essenciais para a implantação e funcionamento da Orquestra Criança Cidadã dos Meninos do Coque. Importante enfatizar que a dificuldade de captação de recursos permanece ainda hoje, por não dispor o projeto de uma fonte de custeio específica, constituindo-se por isso em uma prioridade administrativa. Uma das características mais importantes do Projeto é o investimento contínuo na profissionalização dos alunos, sem nenhum retorno monetário dos mesmos.

Infraestrutura

3. Infra-estrutura 1. Esta prática é fixa ou itinerante? O Projeto tem uma base física fixa, a Escola de Música, construída nas dependências de uma unidade do Exército Brasileiro, o Quartel do 7º DSUP, localizado no entorno da Comunidade do Coque. Saliente-se que esse fato não implica em subordinação, ligação ou dependência administrativa com aquela Unidade Militar. A iniciativa aqui demonstrada foi tomada devido a principal característica da comunidade do Coque ser o alto índice de violência, com tráfico de drogas, receptação de objetos roubados, vida familiar desestruturada, prostituição de menores, gravidez na adolescência, fuga escolar e alto índice de analfabetismo, num universo de mais de 40.000 hab. A localização da Escola de Música dentro de um quartel inserido na Comunidade do Coque, facilitou o trajeto dos alunos e trouxe a segurança indispensável aos professores e funcionários, bem como a necessária proteção do acervo instrumental de alto valor. A Orquestra em si pode ter uma característica de itinerância, pois se apresenta em vários locais, inclusive em outras cidades, como Caruaru e Ipojuca, tocando em eventos diversos. 2. Descreva a infra-estrutura/instalações necessárias para a implementação da prática. • Escola de Música com salas de aula e auditório isolados acusticamente; • Auditório para treino da orquestra e apresentações a visitantes; • Lutheria com armários para guarda de instrumentos e equipamentos para reparo e manutenção dos instrumentos musicais; • Sala de recepção, • Escritório para a administração; • Sala de Reunião; • Instrumentos musicais; • Móveis, utensílios, equipamentos de informática; • Materiais de reposição (cordas, breu, instrumentos de reserva) • Depósito ou local para estoque; • Ar condicionados; • Aparelhos de TV , DVD, som e quadro branco em cada sala de aula. • Aparelho de TV de 29”, DVD, som, quadro branco e telão no auditório • Cadeiras suficientes para todos os integrantes da Orquestra • Sala de aula de reforço com carteiras, quadros e equipamentos áudios-visuais; • Sala para atendimento psicológico com decoração adequada, birô, computador e demais mobiliários compatíveis (almofadas, brinquedos para ludo-terapia etc.) • Materiais didáticos e de escritório; • Utilização da cozinha e refeitório da guarnição federal onde se desenvolve o projeto, uma vez que são servidas 3 refeições diárias ao alunado.

Equipe

1. Equipe 1. Indique a quantidade de funcionários, coordenadores e outras pessoas envolvidas na prática, destacando sua função. DIREÇÃO: Presidente da Associação Beneficente Criança Cidadã (ABCC): Dirigir a Instituição como um todo, em seus vários projetos e colaborar com o Projeto Orquestra Criança Cidadã dos Meninos do Coque na parte financeira, com assinatura de cheques e supervisão dos recursos captados. Coordenadores: 2 Coordenador Geral Função: Estabelecer metas, acompanhar e fiscalizar a execução dos objetivos propostos e estabelecidos; trabalhar na captação de recursos e na administração, aplicação e prestação de contas das verbas obtidas. Coordenador Musical: Função: Dirigir a Escola de Música, reger a Orquestra, educar musical e socialmente os alunos, fazer arranjos e orquestrações das músicas e resolver problemas artísticos e disciplinares que se forem apresentando. Atuar estabelecendo metas de aprendizado nos diversos campos obrigatórios: teoria musical, leitura de partituras, solfejo, ritmo, instrumentos de corda etc. Acompanhar e fiscalizar a execução dos objetivos propostos; fazer testes periódicos de alunos e atualização de professores, supervisionar os trabalhos da lutheria, fiscalizar as condições dos instrumentos musicais etc. EQUIPE TÉCNICA: Maestrina: 1 Função: Substituir o Coordenador Musical nos seus impedimentos. Ensinar instrumentos aos alunos com maior dificuldade de aprendizado. Supervisionar os professores, verificar postura e técnica dos alunos. Assistir o Diretor da Orquestra, afinar instrumentos e atuar como professora de violino, alem de realizar ensaios e preparar apresentações externas. Professores: 8 Função: Ministrar as diversas espécies de aulas (teoria musical, canto coral, ritmo, flauta doce e instrumentos de corda bem como reforço escolar, civismo, ética, hábitos de higiene e boas maneiras), participar do treinamento diário dos alunos, e os avaliar nos ensaios semanais da orquestra e no aproveitamento escolar e comportamental. Afinar instrumentos e auxiliar na montagem da Orquestra. Monitores: 5 Função: Auxiliar os professores nas suas atividades diárias e realizar treinamento de instrumentos de corda em horários de treinos e exercícios. Luthiers: 2 Função: Limpar, guardar, entregar aos professores; receber e conferir dos alunos os instrumentos utilizados nas aulas diárias. Reparar os instrumentos musicais e fazer sua manutenção, (reposição das crinas dos arcos; substituição de cordas, cavaletes e acessórios dos violinos, violas, violoncelos e contrabaixos). Cuidar dos estoques de insumos e acessórios, bem como ministrar aulas de luthieria a alunos selecionados. PEDAGOGIA Pedagoga: Função: Ministrar aulas de reforço escolar, alfabetização, matemática, conhecimentos gerais, higiene e asseio corporal, civismo, ética, bons costumes e jogos educativos. Incentivar a leitura, cuidar da biblioteca e promover trabalhos de redação, poesia e arte. Auxiliar: Função: Assessorar a pedagoga, substituindo-a em eventuais impedimentos e praticar esportes com os alunos. PSICOLOGIA Psicóloga: 1 Função: Entrevistar e atender individual e coletivamente os alunos e seus familiares sempre que procurada; dirimir eventuais conflitos comportamentais e familiares e acompanhar os alunos que apresentam dificuldades de convivência social e aprendizado. Promover palestras de orientação psicológica. Acompanhar o relacionamento entre professores e alunos. EQUIPE ADMINISTRATIVA: GERÊNCIA: Gerente:1 Função: Elaborar projetos, assessorar na captação de recursos, redigir ofícios, correspondência, convites e demais documentos oficiais do Projeto, planilhas, listas e relações diversas para o controle administrativo. Convocar reuniões e supervisionar as atividades da sub-gerência, da estagiária, pedagoga e psicóloga. Conferir o caixa, balancetes mensais e relatórios contábeis, bem como conciliação bancária e fiscal. Contatos com a auditoria e demais prestações de contas. Sub-Gerente: 1 Função: Atuar diretamente com alunos do Projeto, mães e demais pessoas da comunidade. Elaborar relações de presença, acompanhar alunos em apresentações, supervisionar a parte comportamental e dirimir possíveis conflitos na convivência diária dos alunos. Encaminhar alunos para tratamentos médicos e dentários periódicos. Servir de elemento de ligação entre o Quartel do 7.º D SUP no que se refere à alimentação de alunos e atividades dos soldados disponibilizados para apoio. Supervisionar a compra de materiais didáticos, de limpeza, de escritório e outros. Fazer o livro caixa e planilhas bancárias. Secretário: 1 Função: Atuar diretamente com os alunos e seus responsáveis, por ser um líder comunitário. Supervisionar a entrada e saída dos alunos, acompanha-los nas refeições, distribuir cestas básicas e manter quaisquer tipos de contatos externos com as escolas públicas onde estudam os alunos do Projeto, familiares dos alunos etc. Apoio: 3 Função: Acompanhar alunos no trajeto dentro do quartel, auxiliar na orientação de disciplina, fila, auxiliar na limpeza e organização, evitando que os alunos saiam dos limites da Escola de Música e adentrem a área militar. Serviços Gerais: (1) Função: Serviços de limpeza, pequenas compras, providenciar cópias e encadernações diversas, preparar e servir café e água, orientar os alunos como utilizar WC e verificar seus hábitos de higiene. Estagiária: 1 Função: Auxiliar a contabilidade, classificando, organizando e contabilizando documentos fiscais, preparando balancetes e folhas de pagamento, cuidando de arquivos, estoques e inventários de bens. Escritório Contábil – Dr. Uziel Wanderley Função: Elaborar a contabilidade da Associação Beneficente Criança Cidadã, preparar guias de pagamentos de impostos e contribuições sociais, balancetes e folhas de pagamento, bem como demais tarefas relacionadas à sua função. Auditores Externos Voluntários: (2) Baker Tilly Brasil – Função: Auditar as contas do Projeto Orquestra Criança Cidadã, preparar folhas de pagamento e guias de impostos, fiscalizar o pagamento de tributos, folhas de ponto, aplicação de recursos, inventário de bens e conferir a presença física dos funcionários na execução dos trabalhos individuais. Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (2 Auditores) Função: Auditar as contas do Projeto através da documentação contábil e visitas periódicas, fornecendo relatórios de conformidade ou apontando irregularidades e cobrando a correção de quaisquer pendências. Observação: O Tribunal de Justiça, na condição de parceiro do Projeto em comento, disponibilizou graciosamente dois servidores do TCE, à sua disposição, para que estes, em última instância, confeccionem relatórios contábeis de auditoria das contas do Projeto. 2. A equipe recebeu algum tipo de treinamento? Em caso positivo, especifique-o. Os professores foram selecionados dentre os músicos da Orquestra Sinfônica do Recife e professores do Conservatório Pernambucano de Música. Os monitores participaram do Projeto Suzuki do Alto do Céu e foram treinados nessa metodologia. Os luthiers são os de maior competência do Recife, tendo um deles feito curso em Cremona, Itália, cidade referência nessa atividade. A pedagoga, com pós-graduação em gestão escolar, tem grande experiência com alunos das escolas públicas, sendo também uma moradora da comunidade do Coque. Para o gerenciamento da Orquestra foram selecionadas pessoas de vasta experiência profissional, inclusive com trabalhos realizados na área social. Para a secretaria foi selecionado um líder da comunidade do Coque que serve de vínculo e apoio para os contatos com pais de alunos e lideranças. Para os serviços gerais também foi selecionada uma jovem da comunidade do Coque, com sensibilidade para tratar os alunos e grande ligação com os pais e responsáveis dos participantes.

Outros recursos

Além dos recursos físicos, tecnológicos e humanos já mencionados, é de salientar a importância do recurso pedagógico - a Metodologia Suzuki adaptada à nossa realidade pelo Maestro Cussy de Almeida Netto. Para melhor entendimento do que vem a ser essa metodologia, será feito um breve comentário sobre a vida desse grande mestre. Shinichi Suzuki nasceu em Nagoya, no Japão, em 17 de outubro de 1898, filho do fundador da maior fábrica de violinos do mundo. Começou a tocar violino, como autodidata, aos 17 anos. Interessou-se pelo instrumento e foi a Tóquio estudar as primeiras noções técnicas com alguns professores. Aos 23 anos, apoiado pelo pai e amigos, foi à Alemanha, onde ficou durante 8 anos estudando com um renomado violinista, o Prof. Karl Klingler. Aí se casou com uma alemã, Waltraud, retornando a seu país para lecionar e dar concertos. Com três de seus irmãos, também músicos, fundou o Quarteto Suzuki. Descobriu a grande capacidade de aprendizagem das crianças, desde a mais tenra idade, após ter experimentado seu método em 1931 e 1932. Sobreveio a II Guerra Mundial e, a partir de 1943, a vida no Japão começou a ficar muito difícil. A fábrica de violinos da família foi obrigada a fechar, dedicando-se todo núcleo familiar a outras atividades que permitissem sua sobrevivência. Foi no ano de 1945 que Suzuki fundou o seu famoso Instituto de Pesquisa da Educação do Talento, em Matsumoto, onde pôs em prática o novo método de ensinar violino a criancinhas, que ele desenvolvera durante mais de dez anos com alunos particulares. Shinichi Suzuki faleceu em 26 de janeiro de 1998, após ter dedicado a vida em busca de um método de musicalizar as crianças desde tenra idade. Mas não era este o principal objetivo: através da aprendizagem da música, queria desenvolver o talento e influenciar na formação da personalidade das crianças e adolescentes Japoneses, tão sofridos no pós-guerra; acreditava que pessoas com sensibilidade musical desenvolvida teriam condições de buscarem sempre o belo e o verdadeiro, e de encontrarem a paz. Hoje, sua descoberta é conhecida em todo o mundo, e o sucesso do método expandiu-se rapidamente nos países da Europa, América do Norte, Oceania e países vizinhos do Japão, como Coréia, Filipinas e Tailândia. Introduzido depois na América Latina, o Método Suzuki está se desenvolvendo na Argentina, Brasil, Chile, Uruguai, Peru, Colômbia e Venezuela. Vejamos alguns destes princípios: • Motivação (crianças ficam fascinadas ao aprender); • Alegria e autoconfiança (a criança não tem a menor dúvida de que vai aprender); • Aprendizagem dentro do ritmo de cada um, respeitando as dificuldades - começa engatinhando, depois dá pequenos passos; não tenta alcançar a próxima etapa até que esteja pronto; • Aprende com o objetivo de usar, no dia-a-dia, estes conhecimentos e habilidades; • Imitação dos modelos, que estão sempre disponíveis: os “professores” não se cansam de repetir, jamais demonstrando cansaço ou irritação; • Identificação com os mestres, que estão sempre encorajando o aprendiz e elogiando as novas conquistas; e • Afeto envolvido em todas as etapas. Os professores que usam o método Suzuki têm a forte convicção de que toda criança tem um potencial ilimitado. O estudo da música deve enriquecer toda a vida da criança e fazer dela um ser humano mais completo. O aludido método busca o amplo desenvolvimento da criança, expandindo sua capacidade de aprender, apreciar e descobrir a alegria da música. O trabalho desenvolve a atenção global da criança, e suas sensibilidades auditivas, visuais e cinestésicas.

Parceria

Para a implementação e execução de um projeto de tal envergadura foram imprescindíveis apoios e parcerias, dentre as quais destacamos: Exército Brasileiro Construção e comodato do local para instalação da Escola de Música; Fornecimento de pessoal para preparação de alimentação dos alunos; Autorização de uso do refeitório; Deslocamento de 3 soldados para apoio no trato com os alunos. Governo Federal Convênios para repasse de verbas para Manutenção, por meio da Chesf. Governo Estadual Convênio com a Copergás para subsídio de 2/3 dos alimentos; Tribunal de Justiça, com apoio técnico e político; CELPE, Apoio financeiro e doação de instrumentos musicais. Prefeituras Municipais Caruaru - Repasse de verbas para complementação de 1/3 dos alimentos; doação de metade do fardamento de gala da Orquestra; Ipojuca – Doação de metade do fardamento de gala da Orquestra. Empresas e Entidades Privadas: CNI - com a aquisição da quase totalidade dos instrumentos musicais; Banco BGN - doação de pequena parte dos instrumentos musicais; Rapidão Cometa-transporte em geral. Instituição Religiosa: Igreja Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (Mórmons) - doação de pequena parte dos instrumentos musicais. Apoio técnico: Rotary Clubes do Recife.

Orçamento

DISCRIMINAÇÃO VALOR MENSAL - R$ 1 - DESPESAS C/ PESSOAL......... 67.280,00 1.1 - Salário 32.000,00 1.2 - Encargos Sociais 32.880,00 1.3 - Vale Transporte 2.400,00 2 - ALIMENTAÇÃO................. 18.500,00 2.1 - Alimentação 18.500,00 3 - SERVIÇOS DE TERCEIROS....... 4.500,00 3.1 - Contábil 1.000,00 3.2 - Serv. Prestados 3.500,00 4 - DESPESAS GERAIS.............. 9.720,00 4.1 - Comunicação 800,00 4.2 - Combust./Lubr. 800,00 4.3 - Cópias e Encadern. 900,00 4.4 - Correios/Malotes 200,00 4.5 - Energia Elétrica 1.200,00 4.6 - Impostos e Taxas 300,00 4.7 - Manut. de Instal. 1.520,00 4.8 - Manut. de Equip. 2.000,00 4.9 - Mater.de Escrit. 1.000,00 4.10- Mater. de Limpeza 1.000,00 TOTAL MENSAL..................... 100.000,00 Não foram imputadas despesas com aquisição de ativo fixo (instrumentos musicais e outros equipamentos), considerando-se apenas os gastos mensais para a execução do Projeto.

Parceiros Institucionais

Apoio