O CUIDADO HUMANIZADO EM DSTS AIDS NO SISTEMA PRISIONAL DO ESTADO DO CEARA

Homenageada | Autor(es): ELIANA RODRIGUES FREITAS NOGUEIRA VANIA MARIA SILVA DE CASTRO JOSE TERCEIRO DE PAIVA BEZERRA ROBERTO DA JUSTA PIRES NETO | Categoria: Justiça e Cidadania | Cidade: Fortaleza - CE

Prêmio Innovare - Edição XII - 2015

Fotos
Descrição resumida

O Plano Nacional de Saúde prevê a inclusão da população penitenciária no SUS, garantindo que o direito à cidadania se efetive na perspectiva dos direitos humanos. Um dos pontos relevantes presente no plano é em relação a prevenção, diagnóstico e tratamento das DSTs AIDS.Diante do panorama atual, pode-se afirmar que a população privada de liberdade constitui um grupo de risco, devido a fatores como as práticas de violência, exposição aos riscos, a precariedade de espaço físico, as superlotações e a carência do atendimento à saúde. As Unidades prisionais devem cumprir metas a qual o plano propõe.Nesse contexto evidencia a importancia de um cuidado especiliazado.Assim, a equipe do Programa DST AIDS compoe um conjuntos de açoes de saúde, tais como prevenção,detecção e acompanhamento dos casos de DST, sendo estendido esse cuidado aos familiares dos apenados.

Há quanto tempo a prática está em funcionamento?

O início do projeto ocorreu no ano de 2013. Onde durante esse periodo foi implantado o acompanhamento de saude com a equipe do Programa Dst Aids aos casos existes e aos casos novos.Além do trabalho em Educação e saúde com apenados e seus familiares visando a prevenção.

Qual a principal inovação da sua prática?

O confinamento estimula práticas que aumentam o risco de transmissão de doenças infecciosas tanto pelos comportamentos sexuais inadequados como pelo uso de drogas, tornando-os “especialmente vulneráveis” às doenças infecto- contagiosas. Com esse cenário, atual prestamos assistencia especiliazada de saude dentro das Unidades prisionais aos paciente supra citado.É realizado a testagem rápida de HIV, Hepatite C, Hepatite B e Sifilis na entrada do interno as Unidades Prisionais e é disponibilizado os testes aos que ja se encontram cumprindo sua pena ou aguardando jugamento e aos que se encontram no semi-aberto. Nos casos reagentes é realizado o acompanhamento de saude com o Infectologista e a enfermeira especialista de forma mensal, sendo realizado todo o acompanhamento laboratorial na Unidade prisional que se encontra o apenado. Além dos integrantes do Programa os internos sao assistido por uma equipe multidiciplinar(psicólogo, assistente social, enfermeira, dentista).Essas acoes resulta em melhoria da qualidade de vida desses internos e detecção precoce evitando assim a transmissibilidade da doenca.É importante ressaltar que mensalmente é realizado Educacão e saúde com os internos e familiares sobre o tema, conscientizando sobre o sexo seguro.

Explique o processo de implementação da prática

O Plano Nacional de Saúde no Sistema Penitenciário, estabelece diretrizes relacionadas a prevenção e assistência ao DST/HIV/AIDS por meio do fomento às ações de prevenção, diagnóstico e assistência em ambientes prisionais, com ênfase na qualificação dos serviços prestados à população penitenciária.Visando o cumprimento é realizado uma média mensal de testagem em HIV,Hepatite B , Hepatite C e Sifilis de oitocentos testes. Os apenados sao avaliados e realizado a testagem no momento da triagem. Além disso a testagem também é ofertada aos apenados ja existentes nas Unidades Prisionais.Atualmente encontra-se em tratamento de HIV sesenta e um apenados incluindo mulheres. Nos casos diagnosticados é prestado o acompanhamento de saúde especializado e também é ofertado o atendimento aos seus familiares.

Quais os fatores de sucesso da prática?

Um dos grandes resultados das açoes desenvolvidas é a deteccao precoce dos casos de DST AIDS na entrada do interno as Unidades Prisionais com realização de acompanhmento de saúde e tratamento de forma mediata na Unidade Prsional em que se encontra. Além do acompanhamento com seus familiares. A educacao em saúde e outro ponto de relevancia visto que as práticas sexuais quando não ocorrem de forma segura levam ao aumento da transmissão de DSTS, ainda mais nos ambientes prisionais que temos: aglomeracoes, grande quantidade de parceiros e as drogas. aos pacientes , ja que os mesmos sao assistido nas proprias unidades prisionais nao necessitando de escolta ou trnsporte onde e algo precarios nas unidades prisionais do pais, além da seguranca que fica mantida. o olhar nao apenas para o apenado mas para seus familiares, os dando o suporte de saude e referencia para que possam estarem vivenciando esse momento de descoberta com tranquilidade. A educacao em saude e outro ponto de relevancia visto que as praticas sexuais quando nao ocorrem de forma segura leva ao aumento de trnsmissibilidade ainda mais nos ambientes prisionais onde alem das aglomeracoes, da grande quantidade de parceiros, tambem temos as drogas que esta presentes.

Descreva resumidamente as etapas de funcionamento da prática

1. Realizado testagem rápida na entrada do apenado nas unidades prsionais. 2. Ofertado a testagem rápida para os internos que ja se encontram nas unidades e aos seus familiares. 3.Acompanhamento especializado com uma equipe multidiciplinar, onde mensalmente é realizado a consulta com médico especilista e enfermeira. 4. Colhido exames laboratorias específico trimestralmente. 5. Disponibilizado na própria unidade o tratamento medicamentoso. 6. Encaminhamento para unidade de saúde específica após saída do interno. 7 Realizado educacão e saúde mensalmente sobre o referido tema e fornecido camisinha ao apenado e seus familiares.

Quais as dificuldades encontradas?

No ínicio do Projeto encontramos um cenário de dificuldades que levava aos apenados não serem assitidos em saúde de forma regular, o que leva a internamentos em Unidades Hospitalares(externa)e agravamento do quadro de saúde dos Diagnosticados. Essa assistência precária ocorria pela dificuldade no deslocamento do interno para as Unidades Hospitalares especializadas, além da Testagem rápida que não era implantado na entrada dos mesmo as grandes Unidade Prisionais do Estado. A desinformação dos internos e a não abordagem do referido tema fazia com que a prevenção fosse algo não tao relevante a população carcerária.

Infraestrutura

A infraestutura utiliza os recursos da Secretaria da Justiça do Estado do Ceará e da Secretaria da Saúde do estado.

Equipe

O Programa DST AIDS constitui de uma enfermeira especializada, uma técnica de enfermagem e um médico especialista. Associado aos responsáveis do programa, temos as equipes de saúde de cada unidade prisional.

Outros recursos

Não se aplica.

Parceria

Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará-LACEN, Hospital São José, Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, Núcleo de Saúde da Secretaria da Justiça-NUSAU, Secretaria da Justica e Cidadania do Estado do Ceará.Ministério da Saúde(Núcleo Saúde Prisional).

Orçamento

Os recursos financeiros é da Secretaria da Justica e Cidadania do Estado do Ceará e da Secretaria da Saúde do Estado.

Qual é a função profissional da pessoa ou natureza dos serviços prestados pela instituição que está se inscrevendo?

Enfermeira Coordenadora do Programa DSTS AIDS do Sistema Prisional do Estado do Ceara.

Explique como sua prática reduz, simplifica ou abrevia as ações judiciais que envolvem o Estado?

Quando ocorre a prevenção, a busca ativa de novos casos e realizado o acompanhamento de saúde evita-se complicacões, aumentando assim a qualidade de vida dos apenados,com isso resulta em diminuição das internacões prolongadas em unidades hospitalares. O tratamento e acompanhamento ocorre na Unidade Prisional isso é de relevância pela diminuicão dos gastos com escoltas e transportes e a maior segurança do apenado e profissionais.

Parceiros Institucionais

Apoio