09/06/2017 - 16h06 Notícia

Prêmio Innovare tem mais de 700 iniciativas na disputa

Premiação criada em 2004 pelo Instituto Innovare terá participantes de todas as esferas da justiça e de todos os estados do país

Mais de 700 práticas foram aceitas este ano para participação no Prêmio Innovare (www.premioinnovare.com.br) e este resultado foi apresentado aos membros do Instituto Innovare durante a 1ª Reunião da Comissão Julgadora, realizada no dia 07 de junho, na sede do Tribunal Superior do Trabalho. Além dos dados sobre as inscrições, também foram apresentados os jurados que passaram a integrar a comissão em 2017 e que participarão da escolha dos vencedores. São eles a Ministra da AGU, Grace Mendonça, o Desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo, Antonio Carlos Malheiros, o presidente do INSPER, professor Marcos Lisboa e a juíza de Direito do RJ, Andrea Pachá.

Os trabalhos vieram de todos os estados do Brasil e de todas as esferas da justiça, nas categorias Tribunal, Juiz, Ministério Público, Defensoria Pública, Advocacia e Justiça e Cidadania. Este ano a Comissão Julgadora dará destaque a uma iniciativa que melhor represente os esforços para o aprimoramento do Sistema Penitenciário.

As práticas são atividades inovadoras, criativas e com resultados comprovados, criadas e executadas com o objetivo de aumentar a qualidade dos serviços jurisdicionais entregues à sociedade. O objetivo do Innovare é que essas medidas possam ser replicadas por todo o Brasil.

A categoria Justiça e Cidadania, criada em 2014, tem tema livre e contempla iniciativas que contribuam para o melhor funcionamento da Justiça, desenvolvidas por profissionais de qualquer área do conhecimento.  A avaliação e julgamento das práticas inscritas privilegiam os critérios eficiência, qualidade, criatividade, exportabilidade (capacidade de reprodução em outros locais), satisfação do usuário, alcance social e desburocratização.

Desde sua criação, em 2004, a trajetória do Prêmio Innovare em números é muito boa e a cada ano surpreende os organizadores. Veja no gráfico:

 

Fonte: Instituto Innovare, 2017

 

“Temos percebido uma disseminação espontânea de práticas após as premiações. Nos deparamos com práticas que foram divulgadas a partir da premiação e que se replicaram em outros locais”, explica a coordenadora do Prêmio, Raquel Khichfy.  

A disseminação foi potencializada com a criação, em 2015, da plataforma digital Brasil na Prática (www.brasilnapratica.com.br), que organiza as informações sobre alguns dos mais de 5 mil trabalhos já selecionados para participação na premiação. Na plataforma, os interessados em disseminar práticas podem conversar com os organizadores do Prêmio e com os autores das propostas, para debate-las e saber como implantá-las em suas regiões.

A partir das próximas semanas começará o trabalho dos consultores, visitando as práticas para conhecer suas características principais. Em seguida, elas serão avaliadas pelos jurados até o dia da reunião da Comissão Julgadora. A cerimônia de premiação ocorrerá em dezembro, no Supremo Tribunal Federal, em Brasília.

 

Sobre o Prêmio Innovare

O Prêmio Innovare tem como objetivo identificar, divulgar e difundir práticas que contribuam para o aprimoramento da Justiça no Brasil. A premiação foi criada e é mantida pelo Instituto Innovare, uma associação sem fins lucrativos que tem como objetivos principais e permanentes a identificação, premiação e divulgação de práticas do Poder Judiciário, do Ministério Público, da Defensoria Pública e de advogados que estejam contribuindo para a modernização, a democratização do acesso, a efetividade e a racionalização do Sistema Judicial Brasileiro.

O Conselho Superior do Innovare é composto por associações representativas de grande prestígio no mundo jurídico: Associação de Magistrados Brasileiros, Associação Nacional dos Membros do Ministério Público, Associação Nacional dos Defensores Públicos, Associação dos Juízes Federais do Brasil, da Associação Nacional dos Procuradores da República, da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho e Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, além do Ministério da Justiça por meio da Secretaria Nacional de Justiça e Cidadania, do Ministro Carlos Ayres Britto e do jornalista Roberto Irineu Marinho, presidente do Grupo Globo.

A diretoria, responsável pela coordenação das ações executivas direcionadas à concretização do Prêmio Innovare, é formada pelo diretor presidente Sérgio Renault, pelo diretor vice-presidente Pedro Freitas, e pelo diretor Antonio Claudio Ferreira Netto.

O trabalho do Innovare não seria possível sem a equipe interdisciplinar de apoio, que organiza toda a estrutura operacional do Prêmio; e a participação dos consultores externos, responsáveis pela verificação e coleta de informações sobre o funcionamento das práticas concorrentes. Os consultores visitam cada uma das iniciativas in loco e conversam com os autores e beneficiários da prática, auxiliando os jurados na análise e escolha dos vencedores. O Instituto Innovare possui um consultor em cada estado.

Além do Prêmio, o Instituto Innovare promove palestras, publica livros e artigos, produz documentários e realiza pesquisas sobre temas da Justiça. Participam da Comissão Julgadora do Innovare ministros do STF e STJ, desembargadores, promotores, juízes, defensores, advogados e outros profissionais de destaque interessados em contribuir para o desenvolvimento do nosso Poder Judiciário.